Pernas e bumbum durinhos o ano todo!

Pernas e bumbum durinhos o ano todo - Foto: YanLev
[heading]

Pernas e bumbum durinhos o ano todo!

[/heading][heading header_type=”h2″]

Quer ficar com as pernas e bumbum durinhos o ano todo? O Segredo é Perder o Medo.

[/heading][heading header_type=”h3″]

Conheça a historia motivadora de Claudia Franco!

[/heading][lead align=”justify”]”Aventure-se, divirta-se, faça amizades, conheça lugares onde só a bicicleta pode te levar, sinta o vento no rosto, o gostinho da liberdade e ainda, como resultado de tudo isto, ganhe pernas e bumbum invejáveis.”

Comecei na prática do mountain biking há um ano e meio, quando nem sequer sabia trocar as marchas da bicicleta. Descer uma guia de calçada era um obstáculo intransponível. O que me fez mergulhar de cabeça no esporte era o meu profundo desejo de conseguir participar de uma competição internacional de mountain biking. Tinha apenas seis meses para aprender a andar de bicicleta, e me preparar fisicamente e emocionalmente para percorrer os 230 km da competição, em três dias entre a Patagônia Chilena e Argentina.

O meu desejo era imenso, mas o frio na barriga era constante. Comecei a perceber que o meu medo estava disputando com o meu desejo. Entendi que somente o meu medo era o que me impediria de alcançar meu objetivo. Tinha medo de cair, medo de me machucar, medo da velocidade, medo de não conseguir, medo, medo e mais medo.

A maior barreira não foi aprender a andar de bicicleta, não foi me preparar fisicamente: a maior barreira foi acabar com o medo.

O medo faz parte da vida de todo ser humano, pois trata-se de um instinto de sobrevivência e naturalmente as mulheres são mais medrosas. Ter medo é bastante normal, mas a partir do momento que ele a impede de seguir com o seu desejo é sinal de que algo não está bem e precisa ser tratado.

Quando percebi que o medo poderia sobrepor o meu desejo, resolvi canalizar toda a energia negativa do medo em positiva. Superar o medo passou a ser o meu primeiro desafio.

Todos somos capazes de grandes feitos, de grandes superações. Canalize esta energia que te impede de pedalar em uma energia que será o motor da sua bicicleta. Usei uma técnica que funcionou muito bem para mim. Existem várias outras. Tente encontrar a que mais se adapta ao seu estilo. Crie um objetivo pessoal. Crie a sua meta. Eles os ajudarão a superar o medo.

O importante é se lançar – não deixar de viver momentos únicos por medo. Fique atenta a estes medos, aproveitando-os da melhor maneira possível, pois eles podem lhe ajudar e aumentar suas chances de sucesso.

[/lead][lead align=”left”]Fonte: Revista Bicicleta

[/lead]

Bikes Femininas

[heading]

Bikes Femininas

[/heading][heading header_type=”h2″]

Bikes Femininas específicas para mulheres, que querem ir mais além, e levar o esporte mais a sério.

[/heading][lead align=”justify”]A evolução tecnológica, permite que a mulher possa participar em competições, com suas bikes cada vez mais adequando ao seu corpo. Com características diferentes da masculina, elas possuem pernas mais longas em relação ao tronco, braços mais curtos, menor estatura, quadris mais largos e menor peso.

Com tanta evolução tecnológica, vamos conferir as diferenças que estão cada vez mais presentes nas bikes femininas:
[/lead][heading header_type=”h3″ header_align=”left”]

Quadro e Geometria

[/heading][lead align=”justify”]

Quadros específicos resolvem esses problemas, sendo encontrados em tamanhos extra-pequeno e com geometrias mais delicadas. E em uso para competição, alguns fabricantes produzem tubos de quadro com uma espessura menor, mais leves e sem comprometer a resistência.

[/lead][heading header_type=”h3″ header_align=”left”]

Avanço e Guidão

[/heading][lead align=”justify”]

Para se adaptar a menor envergadura das mulheres, são produzidos avanços e guidões menores.

[/lead][heading header_type=”h3″ header_align=”left”]

Pedivela

[/heading][lead align=”justify”]

O tamanho dos braços do pedivela também deve estar relacionado às proporções do corpo. Com quadros tamanho extra-pequeno, os pedivelas 175 mm que são mais amplamente aceitos, devem ser analisados.

[/lead][heading header_type=”h3″ header_align=”left”]

Selim

[/heading][lead align=”justify”]

Com o uma taxa de reclamações altas o Selim é campeão em reclamações, também uma grande preocupação surgiu no meio ciclístico depois de alguns estudos mostrarem que pedalar por muito tempo poderia causar impotência nos homens. Ninguém comentou muito sobre as mulheres, mas já foram feitos estudos que também apontaram potenciais problemas para elas. As mulheres possuem alguns ossos do quadril diferentes dos homens. Estudos já foram feitos para descobrir tamanhos, formatos e até a densidade da espuma de selins que podem trazer mais conforto para elas. De qualquer maneira, é recomendado experimentar modelos diferentes de selins femininos. Os selins largos e gordos que parecem tão confortáveis, na verdade só servem para passeios curtos. Eles podem causar mais dor e desconforto se a intenção é pedalar por mais tempo.

[/lead][heading header_type=”h3″ header_align=”left”]

Freios

[/heading][lead align=”justify”]

Muitos freios já possuem ajustes, externos ou internos, para reduzir as distâncias das alavancas que ficam muito distantes do guidão.

[/lead][heading header_type=”h3″ header_align=”left”]

Suspensões

[/heading][lead align=”justify”]

O sistema de suspensão de algumas marcas foram projetados para ter melhor performance em uma determinada faixa de peso. Algumas vezes, essa faixa de peso está até mesmo acima do peso de uma atleta! Algumas marcas já perceberam isso e já possuem amortecedores ajustados para o uso feminino.

[/lead][heading header_type=”h3″ header_align=”left”]

Bike Fit – O ponto mais importante

[/heading][lead align=”justify”]

Cada pessoa tem características únicas. Uma bike feminina vai ser sempre essencial para uma mulher? Não! Inclusive existem bikes femininas de competição com geometria igual a dos modelos masculinos. Cada caso é um caso e só um bike fit pode dar uma resposta realmente embasada. Mas não se engane: os resultados do bike fit, em muitos casos, vão indicar que a bike a ser usada tem justamente as características que oferecem as bikes femininas de hoje em dia. Antigamente, eram feitas adaptações, que nem sempre eram eficientes. Não é marketing, é ciência!

[/lead][lead align=”left”]

FONTE: Revista Bicicleta

[/lead]